André Friedheim ABF

Entrevista concedida pelo Presidente da ABF - Associação Brasileira de Franchising, André Friedheim, ao PME NEWS, edição de Outubro de 2019 - Tema: "Franquia: o modelo de expansão de um negócio".

 

PME NEWS - Por que investir em uma franquia ao invés de abrir um negócio próprio?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

O franchising é, comprovadamente, um modelo de negócio com menor risco. A taxa de mortalidade do setor há anos está em torno de 5%, enquanto em um negócio isolado ela pode ser superior a 30%. Isso porque a franquia oferece acesso a um modelo de negócio, produto ou serviço já formatado e testado. Dá acesso também ao compartilhamento de recursos, estratégias e ações, tendo sempre a supervisão e treinamento da franqueadora. Operar com uma marca já reconhecida e com fornecedores credenciados também faz toda a diferente. Logo, é todo um ambiente mais preparado para empreender, ainda mais para quem está abrindo seu primeiro negócio.

 

PME NEWS - Quais são os setores que mais se destacam no mercado de franquias?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

Isso varia bastante de ano a ano, mas podemos ter dois olhares para esta questão: por segmento ou tipo de atividade. Em termos de segmentos, considerando o desempenho do setor em 2018, os que mais cresceram foram Entretenimento e Lazer (12, 7%), Hotelaria e Turismo (12,3%) e Serviços e Outros Negócios (8,7%). Considerando anos anteriores, os segmentos de Saúde, Beleza e Bem Estar também se destacaram. Alimentação, por ser o maior e mais tradicional, não apresenta grandes variações, mas é um dos mais sólidos. Em termos de atividade, franquias de serviços de forma geral vêm crescendo muito nos últimos anos, tanto por sua variedade de opções, como por seu profissionalismo.

 

PME NEWS - Qual o momento certo para uma empresa ser transformada em franqueadora?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

Ter a experiência operacional e de gestão necessárias são os fatores críticos, mas, independente do momento, o processo para se tornar uma rede deve ser observado. O primeiro passo é fazer um estudo de franqueabilidade, no qual se avalia quais aspectos do negócio podem ser replicados, o suporte que será oferecido aos franqueados, além de desenhar os aspectos financeiros e jurídicos. Em relação ao aspecto jurídico, desenhar o modelo de Circular de Oferta de Franquia (COF) e Contrato de Franquia são etapas muito sensíveis e que demandam o maior cuidado. Com isso pronto, ter uma unidade de teste é algo também desejável e importante para os ajustes finais.

 

PME NEWS - Quais características importantes que um franqueado deve ter para ingressar no sistema de franquia?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

A primeira, certamente, é ter um perfil empreendedor, ou seja, ter a consciência de cuidar do negócio como um todo, incluindo, principalmente, a entrega final ao consumidor. Infelizmente, temos muitos candidatos que chegam com a percepção de que irão trabalhar menos e que não precisam se envolver no dia a dia da operação. Mas, na realidade, gerir um negócio, especialmente no início, dá muito trabalho e demanda grande atenção do empreendedor. Ter conhecimentos de administração, finanças e gestão de pessoas ajuda muito, pois são fatores tratados no dia a dia que impactam diretamente o resultado do negócio. Por fim, o conhecimento no segmento em que se vai atuar é muito útil, mas pode ser compensado pela experiência da franqueadora ou contratação de consultores e funcionários.

 

PME NEWS - Quais os principais fatores que comprometem e que contribuem ao sucesso do mercado de franquias?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

Creio que o principal fator que contribui com o desenvolvimento do setor de franquias é sua característica colaborativa. Neste sistema, temos dois empresários com competências complementares que se unem para o sucesso de um determinado negócio. Esse formato dirime riscos e soma experiências e recursos de forma harmoniosa e equilibrada. Não por acaso, nesta crise econômica que vivemos, as franquias demonstraram grande resiliência e capacidade de adaptação, mantendo seu crescimento em faturamento e unidades. Em relação aos fatores que comprometem, posso citar o cenário macroeconômico desfavorável, a excessiva burocracia, o sistema tributário complexo e a dificuldade de acesso a crédito.

 

PME NEWS - Quais as vantagens e que dicas você dá aos pequenos empreendedores que querem abrir uma microfranquia?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

A ABF define microfranquias como aqueles modelos de negócio cujo investimento inicial é de até R$ 90 mil. Este nicho vem crescendo nos últimos anos ao possibilitar o ingresso de novos perfis de investidor e em novos mercados. A vantagem maior está, justamente, no acesso mais fácil, mas, de forma geral, as microfranquias costumam apresentar uma operação mais simples e menor necessidade de gestão de pessoas e estoques. Como dica, ressalto que não é porque uma franquia tem um custo mais baixo que a avaliação do negócio deve ser mais simples. O candidato deve avaliar a marca de interesse com o mesmo rigor de uma outra de maior investimento, considerando, inclusive, se a marca terá condições de prestar de fato o auxílio que está sendo prometido.

 

PME NEWS - Quais são as expectativas do setor de franquias para 2020?

André Friedheim – ABF – Associação Brasileira de Franchising

Nossa expectativa é que o setor acelere seu crescimento, principalmente alavancado pela melhora do cenário macroeconômico provocado pelas reformas da previdência e tributária. Com isso, esperamos apresentar uma expansão de faturamento mais próxima de 10%. Além disso, o setor tem feito importantes movimentos na área de inovação e internacionalização, que esperamos que se intensifiquem ainda mais.

veja também