REALIZAÇÃO:Bit Partner | DIREÇÃO:Sidney Cohen

A Geração Z chegou, e agora?

Sidney Cohen - Bit Partner

Se o mercado ainda não se acostumou com a geração Y, nascidos entre 1980 e 1995, então se prepare, a próxima geração acaba de chegar. A geração Z. Nascidos entre 1995 e 2010, também conhecidos como iGeneration, Gen Z, ou simplesmente,  Z´s. Eles já nasceram no mundo virtual, são autênticos, espontâneos e por isso expõem suas fragilidades devido à transparência. Mas não os subestimem. Eles possuem características próprias e de grande influência no mercado, seja no papel de empreendedor como no consumidor. Conforme destaca em entrevista dessa edição, o diretor da Bit Partner, Sidney Cohen, experiente consultor, que percebe esses traços da nova geração recém-chegada ao mercado.

Bastidores

  • Os feriados podem causar perdas de R$ 11,3 bilhões ao comércio no País. Esse valor é 15% superior comparado ao de 2017. A análise é da Fecomércio-SP. Dos 13 feriados oficiais e nacionais, dez poderão ser prolongados. As lojas de vestuário, tecidos e calçados serão uma das mais prejudicadas e deixarão de faturar R$ 1,3 bilhão.
  • A moeda digital, Bitcoin, começa a circular no comércio e prestadores de serviços no Brasil. A marca de moda masculina Reserva começou a aceitar a criptomoeda nas compras pelo site, segundo revela  o próprio site da empresa. A moeda virtual começa a circular em demais setores como hotéis, vendas de ingressos para eventos e até mesmo consulta médica. Segundo a agência de notícias Bloomberg, as transações feitas em bitcoins no mercado de varejo global em 2016 representaram menos de 0,1% do varejo on-line. Apesar da volatilidade recente da moeda, esse indicador deve ser superado, segundo os especialistas.
  • Os pedidos de recuperação judicial caíram 23,8% em 2017, comparados a 2016, segundo o Serasa Experian. Foram registradas 1.420 requisições, enquanto em 2016 totalizaram 1.863. A retomada do crescimento econômico e a redução da taxa de juros foram os fatores atribuídos pelos economistas do Serasa pela queda. As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial, com 860 pedidos, seguidas pelas médias (357) e pelas grandes empresas (203).

 

Novos Desafios

  • Lissa Kellen Martins de Souza assume a Diretoria de Expansão da ABRH/GO da unidade de Anápolis.
  • Jucie Abreu é o novo Diretor de Operações da Estácio Participações para as regiões de MG, ES, DF, GO, MT e MS.
  • Andre Guerra assume a Diretoria de Vendas da Oracle Brasil.

Dados Impressionantes

  • A Indústria 4.0 é considerada a Quarta Revolução Industrial, a tecnologia é a protagonista com atuação direta, com grande impacto financeiro. O valor gerado pelo investimento em IIoT (traduzindo do inglês: Internet Industrial das Coisas) chegará a US $ 15 trilhões do PIB global até 2030, segundo estudo realizado pela Consultoria Accencture. A ampla rede da IIoT proporcionará uma melhor conexão entre as pessoas e processos, melhorando e muito a produtividade dos líderes nas tomadas de decisão, consequência de uma visão mais precisa do desempenho da indústria.
  • A Publicidade deve movimentar US$ 587 bilhões em 2018, no mundo, segundo a consultoria Zenith. O valor representa um crescimento de 4,1% sobre o valor registrado no ano passado. O estudo aponta que, em 2020, 29% de todo o montante investido mundialmente em publicidade serão em dispositivos móveis.
  • O Mundo usa quase 500 bilhões de garrafas plásticas por ano. A previsão é que até 2021 a população global esteja consumindo mais de 580 bilhões de garrafas, segundo levantamento realizado pela empresa de pesquisa Euromonitor. De acordo com o estudo, a China é responsável pela maior parte desse aumento. No ano passado, consumiu 73,8 bilhões de garrafas, mais de 5 bilhões em relação a 2015. Como a reciclagem não cresce como a produção, algumas medidas vêm sendo tomadas para reaproveitar o material, como por exemplo, na produção de roupas com pet, uso na construção civil e em decorações. Há também, medidas mais radicais, como por exemplo, em São Francisco, nos Estados Unidos, que proíbe a venda de água em garrafas plásticas de uso individual.

Agenda

  • 18 a 21 de Fevereiro – São Paulo - SP
    ABUP Home & Gift – Feira de Decoração & UD
    Local: São Paulo Expo
  • 20 a 23 de Fevereiro – São Paulo - SP
    SEBRAE Feira do Empreendedor
    Local: Anhembi Parque

Entrevista

Esta coluna é destinada a entrevistas com especialistas, gestores, executivos e empresários de destaque.

Segue abaixo a entrevista do CEO da Bit Partner, Sidney Cohen.

PME NEWS – A Geração Z chegou, e agora?

Sidney Cohen

Essa preocupação também ocorreu com a geração Y (nascidos entre 1980 e 1995).

Eu, que sou da Geração X (nascidos entre 1965 e 1980), vi surgir a internet. Sou engenheiro e analista de sistemas e na época da faculdade eu não tinha computador pessoal e muito menos internet. Assim mesmo sobrevivi! A geração Y é uma geração privilegiada, ela se desenvolveu junto com a tecnologia e foi estimulada a desempenhar múltiplas atividades. É comum ver pessoas dessa geração estudando, assistindo à televisão e usando o celular ao mesmo tempo... E  enfim chega ao mercado de trabalho a geração Z (nascidos entre 1995 e 2010) e agora? Bem, agora? Apertem os cintos, mas de leve... As pessoas dessa geração seguem os passos da geração Y, mas, de certa forma, com mais cautela... A Geração Z relaciona-se virtualmente. Ela já nasceu no universo digital e com acesso muito rápido à informação.

PME NEWS – O mercado de trabalho está preparado para receber a Geração Z?

Sidney Cohen

Como consultor, tenho o privilégio de atuar simultaneamente em empresas de diferentes áreas. E melhor que isso, trabalhar com profissionais de idades e perfis diferentes. E isso é fantástico! Percebo que os profissionais da geração Z, os Z´s, envolvem-se mais e buscam a satisfação no que fazem. Diferente da geração Y, que troca de emprego com frequência em busca de oportunidades que ofereçam mais desafios e crescimento profissional. A geração Z quer trabalhar em um ambiente dinâmico e quer fazer parte do sucesso da equipe. Valoriza a sustentabilidade e assim como a geração Y promove a inovação nas empresas.

PME NEWS – Qual o perfil da Geração Z, empreendedora?

Sidney Cohen

Falar de Satrtup sem tecnologia não faz nenhum sentido.

Se a geração Z é a geração da tecnologia, obviamente precisa ter o espírito empreendedor.

Um estudo da consultora internacional Universum, com 50 mil adolescentes, de 45 países, revela que 55% têm interesse em criar a sua própria startup.

Apesar de inexperientes, os Z´s carregam alguns legados do mundo virtual, que podem contribuir para o mundo real, como, por exemplo, os jogos eletrônicos. Alguns são aplicados em habilidades estratégicas, negociação e tomadas de decisões. Bastante frequentes no empreendedorismo.

Os Z´s possuem características bem semelhantes às dos empreendedores, como a proatividade, autoconfiança, autonomia, alta dedicação profissional, dentre outras. Há, porém, um ponto fraco, a imaturidade, que se torna visível pelo fato de eles não saberem lidar com críticas. É um risco que faz parte do negócio, afinal, qual empreendedor não corre riscos?

PME NEWS – Qual o perfil da Geração Z, consumidora?

Sidney Cohen

A Geração Z sequer imagina um mundo sem tecnologia e, por isso, quer as coisas para ontem. Eles não são presos a marcas e querem pagar cada vez menos. Eles dominam, por exemplo, o perfil de pessoas que fazem downloads gratuitos, principalmente de músicas e filmes. Pessoas dessa geração estão mais preocupadas com produtos e serviços sustentáveis e com causas sociais. São exigentes na escolha e dão preferência por marcas que contribuem com a sustentabilidade. Formam uma comunidade que preza pelo consumo consciente. Diferente da Geração Y, que é mais consumista e mais fiel às marcas, independente da causa que elas se propõem.

As empresas estão atentas e já lançam campanhas de marketing para atender esse público-alvo, não para menos, eles são cerca de dois bilhões de pessoas, ou seja, 27% da população mundial. Assim, as empresas já investem seus recursos de mídia com o foco nas plataformas digitais. Por outro lado, terão de quebrar o ceticismo de um terço dos consumidores globais, segundo aponta um estudo realizado pela agência de pesquisas Kantar TNS, que alegam que as marcas que investiram nessas plataformas deixaram de entregar o mesmo nível de serviços online, como faziam e bem, comparadas a off-line. Mas como a fase é de transição de geração, espera-se uma mobilização por parte das empresas em melhorar a qualidade para atender também essa importante fatia de mercado.

Pense Nisso

“A geração de 2 bilhões de pessoas, empreendedora, que preza pelo consumo consciente, chega ao Mercado de Trabalho”.

Sidney Cohen

Seja bem-vindo. Cadastre-se ou faça o login para ter acesso a todas edições.

Assinante, faça seu login abaixo: