Postado por: Sergio Monte

Planejamento Financeiro para Empreendedores



Sergio Monte
Coach Educador Financeiro

 

 

Olá, caro amigo empreendedor, tudo bem? Deixa-me te contar um fato que ocorreu alguns anos atrás, quando eu estava elaborando meu artigo de MBA em Finanças, fiz uma pesquisa com mais de cinquenta empreendedores de minha cidade e descobri que a maioria abrem as portas de pequenos e médios negócios e conseguem, as duras penas, sobreviver sem ao menos fazer um planejamento financeiro. Muitos empreendedores destinam grande parte de seu tempo na empresa, focados em desempenhar funções administrativas e não dão atenção ao planejamento financeiro.

Independentemente do tamanho da empresa ou segmento, ele, empreendedor, é quem deve saber onde a empresa está e onde ela pode chegar. Portanto é necessário analisar seu desempenho financeiro do presente, e do passado para, a partir daí, definir o futuro. E isso só é possível se ele souber quanto, onde e como aplicar os investimentos, entre inúmeras outras tomadas de decisão.

Então, com base em meu artigo, vou passar algumas dicas de como elaborar um planejamento financeiro.

 

Organize seus documentos e registros

Antes de realizar o planejamento financeiro, é preciso ter em mãos um histórico das finanças da empresa para se obter uma análise mais detalhada das contas.

É por isso que os documentos e registros financeiros, devem ser arquivados, “nada de bagunça”, de forma organizada, desde o início das operações do negócio.

Somente assim será possível acompanhar o crescimento do negócio, analisando eventuais oportunidades ou dificuldades a serem enfrentadas pela frente

Lembrando que o futuro do negócio está em definir objetivos e metas, esse é o caminho para o sucesso.

Iniciando o Planejamento Financeiro Anual

Não ficar enrolando, e realizar o planejamento anual o quanto antes é estar preparado para as possibilidades que surgirão e para os desafios do ano seguinte.

É difícil saber o que virá pela frente, eu sei, e você também, mas se o você tiver em mãos o histórico das contas, os indicadores financeiros (fluxo de caixa, capital de giro, controle de contas a pagar e receber, controle de inadimplência, demonstrativo de resultados, controle de vendas, entre tantos outros), isso facilitará seu trabalho.

Trabalhar com possibilidades é importante. Portanto, projete um planejamento para uma situação onde possa apresentar cenários positivos ou negativos. Situações imprevisíveis como as causadas pelo Covid-19, e que situação!!, que levaram empresas a estagnação nas vendas, aumento de demanda, endividamentos bancários, etc..., faz com que você defina ações para cada situação, com isso conseguirá criar um planejamento mais completo e assertivo.

Controle e reduza gastos

Você pode até achar que os controles financeiros e os gastos da sua empresa estão controlados, mas será que não há como melhorar?

Para início de conversa, é importante não misturar as finanças pessoais e empresariais. Defina uma retirada de pro labore que atenda às necessidades mensais, sem afetar o giro da empresa. A prática de misturar gastos pode ser prejudicial para o negócio. Lembrando que a empresa não é uma instituição financeira, afinal você não é dono de um Banco, certo?

Os controles financeiros são necessários para atingir as metas e objetivos da empresa, com base em informações sólidas.

O fluxo de caixa é a principal forma de controle das finanças da empresa, é por intermédio dele que o empreendedor saberá se tem condições de honrar seus compromissos diários sem precisar buscar dinheiro com terceiros.

Ao classificar os números diariamente, receitas e despesas, você começa a criar uma rotina de planejamento para a sua empresa.

E como a redução de gastos sempre é possível, desta forma você encontra  maneiras de economizar e investir naquilo que traga mais resultados.

A seguir estão algumas ações que o empreendedor deverá tomar, de forma a fazer seu negócio andar e assegurar que seu planejamento financeiro funcione:

Fluxo de caixa: Ferramenta de uso diário para você controlar o que entra e o que sai de dinheiro

Finanças pessoais e empresariais: não misturar as despesas de pessoas jurídica e física. O ideal é definir um pró labore e separar as despesas pessoais.

Capital de giro: recurso financeiro que deve ser mantido em caixa para garantir as movimentações financeiras das próximas semanas ou meses

Empréstimos: recurso importante para alavancar o negócio. Mas procure sempre pelas melhores taxas de juros e prazos favoráveis, dentro do planejamento previsto.

Monitore o Planejamento Financeiro

Muitos empreendedores elaboram o planejamento, mas daí o guardam na gaveta, não dando importância ao trabalho e ao tempo utilizado, coisa de maluco.

É claro que o empreendedor é o responsável pelas tomadas de decisões estratégicas, ele quem determina as melhores maneiras de atingir um objetivo. Mas nem tudo deve ficar em suas mãos, em determinado momento ele precisa compartilhar com seus colaboradores quais são as metas e objetivos da empresa, para que possam ajudá-lo a atingi-las e corrigir algum desvio de rota.

Use tecnologias para se auxiliar

Existem vários software de gestão que podem te ajudar a controlar as finanças da empresa, você já deve ter notado que são inúmeras informações do dia a dia que devem ser controladas, e tenha certeza que não conseguirá dar conta do recado sem um sistema que otimize todas essas informações.

Somente um planejamento financeiro sólido e bem estruturado permitirá que você, empreendedor, tenha clareza das premissas que você adotou para o seu crescimento e planeje as ações necessárias para chegar lá.

Te desejo sucesso, e coloca a mão na massa!


TAGS : artigo , blog , pme news , Sergio Monte , coaching , gestão , planejamento financeiro