Postado por: Sidney Cohen

Empreendedorismo: de rótulo ao fato

O foco no crescimento do negócio


Sidney Cohen
Palestrante.
CEO da Bit Partner Consultoria Empresarial.
CEO do PME NEWS.

 

O empreendedor com o perfil de empresário que expande seu negócio abrindo novas filiais ou outras empresas, ganha projeção com o advento da internet. A exemplo das Startups, onde uma boa ideia pode se transformar em negócios milionários. O comércio eletrônico, impulsionado com o Black Friday e Natal, fez muitos empresários, até mesmo os mais tradicionais, trocarem as lojas físicas pelas virtuais. De acordo com o levantamento realizado recentemente pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), 226,5 mil lojas fecharam as portas no último ano. Outro dado importante, apresentado pelo E-bit, revela que o comércio eletrônico no Brasil teve um faturamento de R$ 47 bilhões em 2017, com previsão de se chegar a R$ 53 bilhões esse ano, um avanço de 12%.

Algumas iniciativas em promover o empreendedorismo vêm sendo aplicadas, como a do Governo em incentivar as pessoas que trabalham por conta própria a ingressar no modelo MEI (Microempreendedor Individual), porém esse movimento é visto com ceticismo, por limitar exatamente o crescimento. Mesmo com o seu teto de faturamento ter sido ampliado para R$ 81 mil/ano, o microempreendedor não pode participar como sócio, administrador ou titular em outra empresa, além de não poder contratar mais de um empregado.

Um modelo clássico de empreendedorismo é praticado pelo setor de Franquias, por estar diretamente associado à expansão do negócio. Esse segmento ganha novos adeptos, impulsionados pela crise, estimulando ex-executivos, desligados recentemente, a buscarem um novo negócio.

Mas, o modelo que de fato simboliza hoje o empreendedorismo na essência é a startup. O Brasil conta com cerca de 6 mil startups, mais do que o dobro registrado há seis anos, quando haviam 2.519 startups cadastradas na Associação Brasileira de Startups (ABStartups).  Apesar da crise, muitas startups se mostram imunes, por promoverem  respostas inovadoras ao mercado, estimulando negócios não restrito ao cliente final, mas também entre empresas (B2B) .

Independente do rótulo do empreendedorismo, o fato é que ele deve proporcionar e estimular sempre o crescimento do negócio.


TAGS : empreendedorismo , blog , artigo , pme , pmenews , sidneycohen